Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Outro Lado

"I knew all the rules but the rules did not know me..." Uma viagem que se inicia em 2004 e passa por várias transformações, da poesia, à prosa a uma partilha de experiências, atreve-te!

O Outro Lado

"I knew all the rules but the rules did not know me..." Uma viagem que se inicia em 2004 e passa por várias transformações, da poesia, à prosa a uma partilha de experiências, atreve-te!

Um olhar...

24.09.08, Carla

foto by me.

 

 

Olhar não vazio, é apenas o reflexo de mil uma coisas que tentam organizar-se na minha cabeça, o equilibrio é fundamental para que se atinja não direi a perfeição , mas os objectivos propostos.

Mas o obstáculos são alguns, o tempo, o trabalho, é quase como um temporal ,mas eu tenho um guarda- chuva gigante para saltar os obstáculos.

O ano só começa em 2009, mas para mim começa agora, as bases do castelo estão quase prontas, falta muito pouco para construir as paredes...

Tenho-te a ti, e espero não perder mais ninguém, porque quero ter toda a gente a festejar o objectivo cumprido no final do ano...

Estaremos lado a lado para vencermos esta nova etapa e eu sei que vamos conseguir...

«Se tu conseguires olhar em frente e acreditares em ti, o dia de amanhã será melhor!»

 

Até breve,

Carla

Ritmos perdidos...;-)

24.09.08, Carla

Fonte: http://olhares.aeiou.pt/luz_2/foto2229335.html -André Viegas

 

Quero dizer-te,

em pequenas palavras
que num só momento...
todas as letras são escassas...
e palavras leva-as o vento...

 

Mas tens um rosto perfeito,

traços definidos,

um sorriso aberto...
ritmos perdidos....

Para te descrever...

misturo as palavras..

ao ler...

quero que ganhes asas...

 

Perfeitos momentos,

desejos, loucuras...

quero esquecer o tempo..

relembrar o beijo, as ternuras...

 

Sinto o teu perfume...
o meu corpo deseja-te...

arde como lume...

A minha pele beija-te...

 

Amo-te muito!

Carla Ferreira

 

A razão....

11.09.08, Carla

Fonte: http://olhares.aeiou.pt/foto1939841.html- Joaquim Loureiro

 

 

A fronteira entre ter ou não ter razão é uma linha muito ténue e que facilmente pode ser ultrapassada .

Durante o meu dia longo de trabalho, o ter razão acontece demasiada  vezes tudo porque as pessoas não páram um pouco para pensar e aliviar o stress normal que as invade.

Dou por mim no meio de discussões que não fazem o menor sentido e que apenas representam um barulho ensurdecedor e que um momento de silêncio resolveria.

Mas não é só no trabalho, na rua, é a sociedade em si que absorveu da pior forma o conceito globalização e vive tão virada para o seu umbigo que não pára um minuto para pensar nos outros, apenas diz eu tenho razão...

Porque este texto?

É um desabafo talvez, mas mais do que isso representa várias datas, 11 de setembro de 2001, 11 de Março de 2004, 11 de setembro de 1973,  6 de agosto de 1945 entre outros, todos eles em nome de uma razão que eu hoje ainda não entendo...

Antes de falarmos, agirmos, devemos pensar e reflectir as nossas próprias atitudes e tentar evitar o conflito, seja ele, bélico, físico, psicológico...

 

 

Beijos,

Carla