Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Outro Lado

"I knew all the rules but the rules did not know me..." Uma viagem que se inicia em 2004 e passa por várias transformações, da poesia, à prosa a uma partilha de experiências, atreve-te!

O Outro Lado

"I knew all the rules but the rules did not know me..." Uma viagem que se inicia em 2004 e passa por várias transformações, da poesia, à prosa a uma partilha de experiências, atreve-te!

Quando o Corona virou uma guerra...

28.06.20, Carla

IMG_20200611_160307_297.jpg

Cá estamos de novo, gostava que o tema fosse diferente mas o vírus teima em andar aí e este novo normal anda afectar muita gente.

As redes sociais têm aquele lado negro em que conseguimos ser convidados para todos os grupos que existem e descobrimos um mundo de escárnio e mal dizer escondido atrás de um teclado.

Entramos numa guerra de surdos entre a opinião do grupo #sairdecasa e o grupo #ficaemcasa e pelo meio uma chuvada de parvoíces de um lado e do outro.

Voltando ao mundo real, temos os que se apanham covid são considerados criminosos, ninguém questiona se a pessoa teve ou não cuidado... É um irresponsável ponto final, em momento algum paramos para pensar, se aquela pessoa tem acesso a máscaras, álcool se alguma vez teve oportunidade de parar de trabalhar.

É preciso uma acção junto da população, permitir o acesso gratuito a máscaras e álcool gel, mais transportes públicos para quem vem dos arredores da cidade. 

É preciso olhar o lado psicológico de cada um e tentar perceber porque muitas vezes as pessoas saem à rua. Estão inseridas em agregados tóxicos? Não podem parar de trabalhar porque não tem meios financeiros? Sentem-se sufocados por viverem, escola, trabalho, família em 38m2?

Procura-se uma atitude positiva de quem nos governa ( apesar de acusarem já algum cansaço), medidas concretas para a convivência que se prevê longa com este vírus, não só pelas pessoas, como pela economia, pela saúde. 

Não nos podemos esquecer de olhar aos que nos são próximos, o sorriso ou o "não é nada" pode esconder muita coisa, estamos muito mais egoístas do que quando isto começou e longe de estarmos no mesmo barco. 

Fiquem bem! 

Carla 

 

Diário de viagens pós confinamento

11.06.20, Carla

IMG_20200611_160307_297.jpg

Saímos na primeira aventura fora de portas (leia-se Lisboa). Porque ainda estamos em plena pandemia decidimos definir um plano que vos pode ajudar para as vossas férias.

Reservámos um apartamento e levámos a comida cá de casa, evitar ao máximo zonas de fluxo: restaurantes e supermercados ou seja cozinhámos em casa e na praia fizemos o belo do piquenique. 

Por falar em praia, obrigatório instalar aplicação das praias ( precisa que seja actualizada com maior frequência para evitar andarmos a saltar de praia em praia), a aplicação ajuda a decidir onde vamos estender a toalha. 

Diga-se tudo tranquilo nas praias que fomos (Rocha e Pescador), as pessoas respeitam no geral a distância entre si. 

Voltando ao hotel, não há arrumação de quarto durante a estadia, (salvo excepções) quem não tem jeito para dona de casa tem de se safar e não esquecer o pendurar a bela da toalha porque não há substituição, o ambiente agradece.

De resto o hotel tem um selo clean and safe e percebe - se que o plano de contingência passa confiança e os funcionários são muito prestáveis. 

Portanto resumindo a experiência convida a repetir já nas próximas férias.

Obrigada ao Pestana Gramacho Residences pela receção. 

Nunca o lema vão para fora cá dentro fez tanto sentido. 

Continuem de boa saúde, 

Carla Ferreira