Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Outro Lado

"I knew all the rules but the rules did not know me..." Uma viagem que se inicia em 2004 e passa por várias transformações, da poesia, à prosa a uma partilha de experiências, atreve-te!

O Outro Lado

"I knew all the rules but the rules did not know me..." Uma viagem que se inicia em 2004 e passa por várias transformações, da poesia, à prosa a uma partilha de experiências, atreve-te!

Chuva

24.01.08, Carla

Foto in: Anomalias.weblog.com.pt



«As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir

São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder

Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer

A chuva molhava-me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera

Ai... meu choro de moça perdida
gritava à cidade
que o fogo do amor sob chuva
há instantes morrera

A chuva ouviu e calou
meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade»

 

Mariza

Jorge Fernando


Porquê este poema, cantado na voz da grande fadista Mariza?
Porque ao ouvi-lo recordo-te, lembro-me de cada momento, cada lágrima de saudade e como por momentos me perdi ao ver-te partir. Nesse dia não chovia lá fora, mas em mim um dilúvio desabava,  fazia-me pensar, duvidar..
Hoje relembro-te nas coisas mais simples: o teu sorriso, o teu perfume que parece eterno e os teus comentários serão sempre recordados.
Os anos passam, e já la vão 3 mas não existe um dia em que um de nós não se lembre de ti, estás no coração de todos e no meu de certeza porque sei que olhas por mim...

A tua neta,
Alexandra

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.